Porquê no Douro

Porquê no Douro

Douro. É inegável o valor histórico e cultural desta região demarcada, a mais antiga do Mundo e Património da Humanidade (UNESCO), reconhecida também por produzir dos mais prestigiados vinhos do mundo.

No entanto, esta é também uma região predominantemente rural que se caracteriza, segundo o INE, por um elevado índice de envelhecimento da população* (em 2015 apresenta o valor de 203.2), associado a graves problemas socioeconómicos.

Os indicadores de pobreza da região do Douro, conjugados com outros fatores de risco como o alcoolismo, a violência doméstica e o desemprego, tornam premente uma intervenção no e para o território, com uma visão sustentável, de longo prazo.
 
* Relação entre a população idosa e a população jovem – representa o quociente entre o número de pessoas com 65 (ou mais anos) e o número de pessoas entre os 0 e os 14 anos.
POBREZA E EXCLUSÃO
EDUCAÇÃO
ÁLCOOL E VIOLÊNCIA

Pobreza e desemprego

Segundo dados do INE para 2015 existem 2.6 milhões de portugueses em risco de pobreza ou exclusão social, sendo os mais afetados as famílias com três ou mais crianças dependentes e aquelas em que as crianças vivem com um só adulto.

​Este valor corresponde a 19% da população portuguesa a viver com menos de 60% do rendimento médio.

​Ainda de acordo com os dados do INE, em 2016 a Região Norte de Portugal apresentou uma taxa de desemprego de 12%, superior à taxa de Portugal de 11,1%.

​A dezembro de 2016 encontravam-se desempregadas, na região Norte de Portugal, 200.792 pessoas, de acordo com o IEFP, sendo que 6,5% destas pertenciam à região do Douro. No que respeita a desemprego jovem, no mesmo período, existiam 23.934 jovens desempregados (com menos de 25 anos) na região Norte, representando o Douro 7% deste total.

Recorde-se ainda que em 2015 a taxa de desemprego jovem foi de 31,90% em comparação com uma taxa média dos 28 países da União Europeia de 20,40%(fonte:OECD), no mesmo período.

"Children growing up in poverty or social exclusion are less likely then their botter-off peers to do well in school, enjoy good health and realize their full potential later in life”.
EUROPEAN COMISSION| 2013
PIB PER CAPITA
PORTUGAL
15.702 EUROS
NORTE
12.900 EUROS
DOURO
10.370
EUROS

Alcoolismo

O consumo excessivo de álcool é um fator bastante enraizado na sociedade portuguesa. Segundo a Organização Mundial de Saúde, a média de consumo em litros de álcool puro, em 2015, por pessoas com idade superior a 15 anos, em Portugal, era de 12.5 litros/ano (World Health Statistics 2016).

Em 2014, 24.10% da população em Portugal consumia bebidas alcoólicas diariamente (comparativamente com a média europeia de 9,2%).

​Foi na Região Norte de Portugal que se encontrou a maior precentagem de consumo diário (30.30%) para a população residente de 15 ou mais anos, de acordo com os dados disponibilizados pelo INE.
CRIMES DE VIOLÊNCIA
DOMÉSTICA REGISTADOS
PELA POLÍCIA, EM 2012
NORTE
7.870
R.A.
AÇORES
916
CENTRO
4.061
LISBOA
6.135
R.A.
MADEIRA
767
ALENTEJO
1.378
ALGARVE
1.079

Envelhecimento da população e analfabetismo

A população no Douro caracteriza-se por um número bastante elevado de idosos, face à restante Região Norte de Portugal. O índice de envelhecimento* no Douro atingiu os 203.2 no ano de 2015, tendo contribuído largamente (juntamente com o Alto Tâmega e Trás-os-Montes) para o envelhecimento da população na Região Norte. Segundo dados de 2015 do INE, o índice de envelhecimento médio em Portugal foi de 146.5. Na Região Norte o valor ascendeu a 139.5.
 
O envelhecimento da população no Douro traduz-se também numa elevada taxa de analfabetismo na região (de 8.64%, comparativamente com 5% na Região Norte e 5.2% em Portugal Continental, de acordo com os dados do INE de fevereiro de 2014). Este aspeto tem consequências graves ao nível da valorização escolar por parte dos pais e/ou encarregados de educação relativamente aos seus filhos/educandos.
 
No que respeita ao Abandono Precoce da Educação e Formação em Portugal, segundo o INE, em 2016 a taxa era de 14% na Região Norte do país.
 
Relativamente à taxa de retenção e desistências no ensino básico (por referência ao ano letivo 2014/2015), esta foi de 6,6% no Douro, face a 7,9% em Portugal. A este nível, São João da Pesqueira e Tabuaço apresentaram das taxas mais elevadas – 15,5% e 10,7% respetivamente.
 
* Relação entre a população idosa e a população jovem – representa o quociente entre o número de pessoas com 65 (ou mais anos) e o número de pessoas entre os 0 e os 14 anos.